Ejercito de Portugal

Los Ejércitos terrestres del mundo. Actualidad, orden de batalla, operaciones. La Legión Extranjera Francesa. Tanques, blindados y otro armamento.
Miguel Machado
Soldado Primero
Soldado Primero
Mensajes: 81
Registrado: 31 May 2009, 20:37

Mensaje por Miguel Machado »

Na semana em que o Regimento de Lanceiros N.º 2 assinalou 177 anos de vida o “Operacional” foi ver as suas novas capacidades e equipamentos.

http://www.operacional.pt/novas-capacid ... lanceiros/

Imagen


Avatar de Usuario
Yorktown
General
General
Mensajes: 15641
Registrado: 23 Oct 2007, 11:22

Mensaje por Yorktown »

Mis condolencias por los sucesos de Madeira, y todo mi apoyo para las tropas y demás agentes de rescate que estén actuando allí.

Abrazos desde España.


We, the people...
¡Sois todos un puñado de socialistas!. (Von Mises)
Miguel Machado
Soldado Primero
Soldado Primero
Mensajes: 81
Registrado: 31 May 2009, 20:37

Mensaje por Miguel Machado »

Gracias, es de facto terrible.


Miguel Machado
Soldado Primero
Soldado Primero
Mensajes: 81
Registrado: 31 May 2009, 20:37

Mensaje por Miguel Machado »

A nova estrutura orgânica da Guarda Nacional Republicana, implementada a partir do início de 2009, decorre da aprovação da lei nº 63/2007, de 6 de Novembro e da subsequente legislação regulamentar.
Sobre a lei em si mesma, apenas referir que foi o culminar de um conturbado processo legislativo que entre outros aspectos, contou com um veto presidencial.
A estas premissas há a acrescer a pouca atenção dada pelo legislador ao facto da GNR ser um Corpo Militar, o que não foi minimamente tido em consideração, com os consequentes desajustamentos derivados de tal opção.
Foi neste pano de fundo que se implementou a nova estrutura orgânica da Guarda.


http://www.operacional.pt/a-nova-organica-da-gnr/

Imagen


Miguel Machado
Soldado Primero
Soldado Primero
Mensajes: 81
Registrado: 31 May 2009, 20:37

Mensaje por Miguel Machado »

O artigo aqui apresentado decorre da experiência do Comando de um Esquadrão de Reconhecimento no Teatro de Operações do Kosovo, entre Agosto de 2000 a Abril de 2001. Além do interesse histórico que tem, muitos dos ensinamentos obtidos são intemporais e têm aplicação nos dias de hoje.

http://www.operacional.pt/kosovo-as-ope ... o-e-busca/

Imagen


Miguel Machado
Soldado Primero
Soldado Primero
Mensajes: 81
Registrado: 31 May 2009, 20:37

Mensaje por Miguel Machado »

O “Operacional” foi a Tancos entrevistar o Major-General Raul Cunha comandante da Brigada de Reacção Rápida. Esta grande unidade está com um enorme empenhamento operacional externo, no Afeganistão e Kosovo e ao mesmo tempo em reorganização interna, aperfeiçoando a estrutura herdada da chamada “Transformação do Exército” e preparando o futuro próximo.

http://www.operacional.pt/major-general ... eracional/

Imagen


martelo79
Suboficial
Suboficial
Mensajes: 590
Registrado: 24 Abr 2007, 18:17

Mensaje por martelo79 »

Operação de cerco e busca em MUSAHI

29-03-2010

Decorreu no passado dia 24 de Março uma operação designada de Cerco e Busca, no Distrito de MUSAHI, sob a responsabilidade da Kabul Capital Division (111 KCD), em coordenação com a Polícia de Cabul e com os Serviços de Informações e Segurança Afegãos. A operação teve origem em informações recolhidas no terreno e em apenas 24horas foi preparada, o que permitiu registar assinaláveis progressos na capacidade de planeamento da KCD que, como se sabe, é apoiada pela OMLT nacional.

Responsável pelo cerco e isolamento da área considerada, as forças da 111 KCD (230 militares) encontravam-se em posição, 2 horas antes do início da operação de busca. Os Serviços de Informação e a Polícia, tiveram à sua responsabilidade a revista e busca das habitações, com um total de 280 agentes, dos quais cerca de 20 mulheres.

A OMLT nacional articulou-se em Posto de Comando Avançado, na Área de Operações, e Posto de Comando Principal, na sede da KCD. A força nacional possuía ainda um Posto de Comando Recuado, em KAIA, onde eram asseguradas as comunicações e logística.

A missão foi bem sucedida, tendo sido capturados 3 presumíveis insurgentes e diverso material. Com missões deste tipo visa-se obter maior restrição da liberdade de movimentos dos grupos insurgentes e um acréscimo do sentimento de segurança para população afegã, e que essa evolução positiva resulte da acção das próprias forças afegãs.

:arrow: http://www.emgfa.pt/pt/noticias/144


Miguel Machado
Soldado Primero
Soldado Primero
Mensajes: 81
Registrado: 31 May 2009, 20:37

Mensaje por Miguel Machado »

OS CANHÕES DA CASTANHEIRA EM PONTA DELGADA…(Açores)

http://www.operacional.pt/os-canhoes-da ... %E2%80%A6/

Imagen


martelo79
Suboficial
Suboficial
Mensajes: 590
Registrado: 24 Abr 2007, 18:17

Mensaje por martelo79 »

Lancero escribió:Exército: Muitos jovens sonham com Operações Especiais mas acabam por desistir

Lamego, Viseu, 16 abr (Lusa) - Cinquenta anos após a sua criação, o Centro de Tropas de Operações Especiais (CTOE), em Lamego, continua a atrair muitos jovens que sonham pertencer a esta unidade de elite, mas muitos são também aqueles que acabam por desistir.



Numa entrevista à agência Lusa a propósito do 50º aniversário do CTOE, que hoje se comemora, o seu comandante, coronel de infantaria Diogo Sepúlveda Velloso, mostrou-se convicto de que "é muito fácil ser das Operações Especiais, basta querer".



Isto porque, explicou, além da capacidade física, são necessárias "uma capacidade de discernimento e uma força de vontade que permitam ultrapassar as dificuldades da formação e depois do treino operacional".



Muitos não as têm e, por isso, ainda que o CTOE reúna "um capital de voluntários bastante elevado", tem também um grande número de desistências.



"Hoje a juventude não encaixa bem no perfil dos desafios, da vontade e do ultrapassar. Há um facilitismo quase militante na sociedade ocidental e essa é a grande dificuldade e o grande problema dos jovens", considerou.



Na opinião de Sepúlveda Velloso, os jovens "quando enfrentam rigor, disciplina" demonstram dificuldades em perceber "o que é o altruísmo, a entrega gratuita a um bem comum e a um objetivo comum da eficácia de um grupo".



"Vê-se que as pessoas vivem isoladas e têm muita dificuldade em ultrapassar a barreira do individual para o coletivo", contou, acrescentando que isso leva a muitas desistências, nomeadamente logo nos primeiros períodos, em que a formação é idêntica em todo o Exército.



Segundo o comandante do CTOE, os jovens desistem "por coisas tão simples como terem horários, estar frio, porque a namorada ligou" ou mesmo por terem de andar vestidos todos da mesma forma.



No ano passado, por exemplo, cerca de 600 jovens manifestaram vontade de integrar as Operações Especiais mas depois aparecerem pouco mais de cem à porta do quartel.



"Desses, eu diria que dos que vieram da vida civil chegam ao final e serão graduados em Operações Especiais cerca de 40", estimou.



Os que conseguem enfrentar as dificuldades iniciais, têm depois em Lamego uma vida "longa e preenchida", garante Sepúlveda Velloso.



Isto porque a unidade faz por ano, em média, um total de 23 exercícios, 15 dos quais na área da formação e mais oito de dimensão nacional ou internacional.



O responsável explicou que o CTOE está "em estado de prontidão para interesses nacionais relativamente elevado" e tem vindo a integrar todas as NATO Response Force (NRF) desde a sua origem.



Explicou que, neste momento, a unidade de Lamego tem vários militares espalhados pelo mundo, nomeadamente um na componente de Operações Especiais do Afeganistão, uma equipa sniper junto da Quick Reaction Force que foi para o Afeganistão com os Comandos e o destacamento de Operações Especiais junto da força que está no Kosovo.



O CTOE participa também em missões de cooperação técnico-militar em Moçambique, no Centro de Formação das Forças Especiais, e no projeto dos Comandos da Brigada de Forças Especiais de Angola, acrescentou.


Imagen

Imagen

Imagen

Imagen

Imagen

Fotos: NUNO ANDRE FERREIRA/LUSA


Miguel Machado
Soldado Primero
Soldado Primero
Mensajes: 81
Registrado: 31 May 2009, 20:37

Mensaje por Miguel Machado »

No decurso do exercício “AIRLIFT BLOCK TRAINING 2010″ pára-quedistas portugueses e belgas efectuaram centenas de saltos em pára-quedas, parte dos quais de abertura manual. Alfredo Serrano Rosa esteve lá e fez a reportagem fotográfica que se segue. Também falamos do Centro de Excelência Aeroterrestre que o Exército vai criar em Tancos, abrindo caminho para um novo patamar a nível da cooperação internacional nesta área “de ponta” do pára-quedismo militar e das operações especiais.

http://www.operacional.pt/saltos-de-abe ... em-tancos/

Imagen


Miguel Machado
Soldado Primero
Soldado Primero
Mensajes: 81
Registrado: 31 May 2009, 20:37

Mensaje por Miguel Machado »

«…O pessoal em preparação para pára-quedista usará um distintivo igual ao descrito no parágrafo anterior (leia-se distintivo de qualificação pára-quedista), mas “sem a asa esquerda.”»

http://www.operacional.pt/distintivo-de ... tas%C2%BB/

Imagen


Miguel Machado
Soldado Primero
Soldado Primero
Mensajes: 81
Registrado: 31 May 2009, 20:37

Mensaje por Miguel Machado »

Luís Costa tem uma vida dedicada à investigação histórica sobre viaturas militares, paixão iniciada com a procura de informações por causa do modelismo, aprofundou-se depois e entrou no domínio do história militar. Detentor de um bem cuidado acervo documental privado sobre esta temática, conseguido durante décadas de trabalho, meticuloso e dedicado, confirmando até à exaustão os dados recolhidos, escreve hoje no Operacional.

http://www.operacional.pt/viaturas-lige ... 1940-1990/

Imagen


martelo79
Suboficial
Suboficial
Mensajes: 590
Registrado: 24 Abr 2007, 18:17

Mensaje por martelo79 »

O Estado português vai gastar perto de 900 mil euros num simulador para treino das tripulações dos novos carros de combate do Exército, os Leopard. De acordo com o Diário da República do dia 30 de Abril, o ministro da Defesa, Augusto Santos Silva, adjudicou a "aquisição de um sistema de equipamento de treino vídeo para carros de combate Leopard 2A6, no valor global de 885 mil euros, montante este devidamente cabimentado conforme declarações de cabimento das quantias de 852 mil euros e de 200 mil euros, emitidas pelo Comando da Logística do Exército, de 23 de Fevereiro de 2010."

O sistema virtual servirá "para promover o treino dos membros da tripulação do CC Leopard II A6, reduzindo-se assim os custos", explicou ao PÚBLICO o Ministério da Defesa através do gabinete de comunicação do ministro. O simulador vai ser adquirido ao Estado holandês, que vendeu igualmente os 37 carros de combate que substituem os já obsoletos M60, de fabrico norte-americano.

Os Leopard são de desenho alemão, embora a Holanda os construa sob licença. São considerados dos sistemas de armas mais avançados do mundo. A compra destes carros de combate topo de gama terá custado ao Estado português cerca de 80 milhões de euros. Na altura da decisão da sua aquisição, o general Pinto Ramalho classificou o apetrechamento do Exército com estes tanques como um passo importante para uma "maior adequabilidade operacional no quadro da Nato", permitindo uma aproximação "aos exércitos de referência". Actualmente, 14 exércitos mundiais estão equipados com este tipo de carros de combate: Alemanha, Canadá, Espanha, Brasil, Holanda, Grécia, Áustria, Turquia, Chile, Finlândia, Noruega, Polónia, Singapura.

Portugal começou a receber os novos carros de combate em finais de 2008. No passado mês de Abril, durante o primeiro exercício de fogo real com estas novas armas, o chefe de Estado-Maior do Exército, general Pinto Ramalho, assumiu a intenção de adquirir mais 16 destes carros, por forma a permitir ao Exército a formação de três esquadrões com tanques de "última geração". O novo sistema de treino deverá estar operacional na Base de Santa Margarida - sede da Brigada Mecanizada - no terceiro quadrimestre de 2010. Neste negócio não houve contrapartidas ou qualquer participação de empresas portuguesas.

Segundo o DR, 850 mil euros servirão para pagar a aquisição do próprio equipamento. Os restantes 35 mil servirão para as "despesas necessárias com a formação e treino dos operadores do sistema a adquirir e respectiva manutenção". No mesmo despacho, o Ministério da Defesa anuncia que a compra se fará por ajuste directo, uma vez que "não se encontra sujeita à concorrência de mercado e, por conseguinte, de acordo com o disposto no n.º 1 do artigo 5.º do Código de Contratos Públicos (CCP), a contratação está excluída da sujeição obrigatória aos tipos de procedimentos de contratação previstos na parte II da CCP".

Três esquadrões

Os chefes militares do Exército querem dispor de três esquadrões equipados com 55 carros de combate Leopard 2A6, dos quais já foram contratados 37, cuja entrega se processa desde finais de 2008. A aquisição dos restantes 18 poderia vir a ser financiada com a venda de 60 carros de combate M60. Esta venda poderá ser de difícil concretização. As FA admitiam receitas de 280 milhões de euros e só devem conseguir uma quantia rondando um terço daquele valor, devido aos constrangimentos da crise.

http://www.publico.pt/Pol%C3%ADtica/est ... es_1436745


Miguel Machado
Soldado Primero
Soldado Primero
Mensajes: 81
Registrado: 31 May 2009, 20:37

Mensaje por Miguel Machado »

PORTUGUESES EM DESTAQUE NA KFOR (KOSOVO)

http://www.operacional.pt/portugueses-e ... or-kosovo/

Imagen


martelo79
Suboficial
Suboficial
Mensajes: 590
Registrado: 24 Abr 2007, 18:17

Mensaje por martelo79 »



¿Quién está conectado?

Usuarios navegando por este Foro: CommonCrawl [Bot] y 0 invitados